Sábado, 20 de Dezembro de 2008

    Na Escola da Eira Pedrinha, na turma do 1º e 4º ano, aquando da exposição de  vários livros de diferentes formatos, tamanhos e conteúdos, os alunos descobriram a importância da  ilustração e dos paratextos (epitextos e peritextos) e de que forma eles podem contribuir para que possamos fazer algumas inferências sobre o seu conteúdo e influenciar a nossa opção por determinado livro e não por outro.  Mas, em determinado momento surgiu a pergunta: Será que poderemos ler um livro mesmo  quando não o temos para pegar e desfolhar?  Será que existem outros formatos de livros?

    Não foi fácil chegarem à resposta mas finalmente alguém disse que sim e com um pouco de ajuda chegaram então à existência dos livros virtuaise de como se transforma o objecto livro num livro virtual. Foi então que surgiu a apresentação em power point do livro "O Natal especial da Rena Rubi".   

Cada um começou por imaginar e falar da história que o titúlo lhe sugeria. Após a leitura do resumo apresentado, na capa posterior, surgiram logo algumas expressões "Então se calhar não é como eu pensei..."

    E, finalmente foi apresentado o power point e lida   a história, pela professora à turma.

     No final, todos demonstraram o seu agrado pelo texto lido e de imediato sugeriram e fizeram a ilustração da parte da história que mais gostaram, justificando por escrito o porquê da sua escolha.

       Com esta actividade o alunos foram despertados para os diferentes critérios de análise de um livro e de como podem aprender a apreciar um livro nas suas diferentes dimensões ao mesmo tempo que activaram as suas competências linguísticas e literácitas.

                                                                                         

      Enquanto isso, o grupo do 1º Ano construiu um puzzle da Rena Rubi e deliciou-se na descoberta de outras palavras com o som [r] .

   Primeiro, foi-lhes solicitado que descobrissem o que havia de comum nas palavras RENA e RUBI, imediatamente identificaram o som [r]. A partir daí, deu-se ínicio a um jogo de descoberta de outras palavras, umas espontaneamente  e outras a partir de  imagens apresentadas pela professora.

    Simultaneamente, em cada descoberta feita, os alunos iam  ao quadro tentando "acertar" na escrita da palavra que depois ficava registada numa cartolina juntamente com a imagem. Mas, o momento mais entusiasta foi mesmo  quando os alunos foram convidados a adivinhar as  palavras que a professora pronunciava omitindo o som [r] . Rapidamente foram os próprios alunos que começaram a liderar o jogo e quem adivinhava a palavra tinha direito a pronunciar outra, não se esquecendo nunca da regra - omitir o som  [r] .                    

    Finalmente, os alunos foram convidados a executar uma ficha de trabalho individual em que puderam aplicar e consolidar os seus "novos" conhecimentos com o mesmo entusiamo que tinham anteriormente.

   Assim, não nos parece difícil aprender a gostar de aprender!

 

                                                                     

                                                  

 

 

 

 



publicado por pnep-condeixa às 23:08
mais sobre mim
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


arquivos
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


links
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO