Terça-feira, 06 de Janeiro de 2009

 

Agora, vais construir uma história, usa a
seguinte fórmula para te ajudar!
 
 
 
 
1.     Uma fórmula para começar
2.      Uma porção de tempo
3.      Uma porção de espaço         
4.      Um herói
5.      Uma missão para cumprir
6.      Alguma coisa ou alguém para atrapalhar o herói
7.      Alguma coisa ou alguém para ajudar o herói
8.      Podes juntar outras personagens
9.      Muitas peripécias
10.      E …não pode faltar um final!
 
Agora escreve tua a tua história!...
 

 

 
 
 
 
 


 

                                                                                                       
                             
 
 
 
 

                       

 

 

 



publicado por pnep-condeixa às 13:12

 

Ficha Informativa
RETRATO FISICO   
 
O retrato físico de uma pessoa ou personagem é a descrição do seu aspecto físico: face, cabelos, estatura, jeito de andar, voz, etc.
 
Quando descrevemos alguém e falamos do seu aspecto físico não precisamos de nos referir a todos estes aspectos, mas apenas aos que são mais marcantes nessa pessoa ou personagem.
                        
 
Estes são alguns adjectivos e expressões de valor equivalente que podem ser usados para caracterizar aspectos do rosto de uma pessoa ou personagem. Mas há muito mais. Acrescenta outros que conheças ou vás encontrando nos textos que lês.
 
 

 
ROSTO
Alongado, bochechudo, largo, de traços delicados, enrugado, fresco, magro, oval, redondo, sardento, sereno…
 
CABELO
Áspero, brilhante, comprido, crespo, curto, desgrenhado, farto, fino, claro, macio, ondulado, raro, revolto, sedoso…
 
OLHOS
Amendoados, arregalados, baços, brilhantes, claros, dissimulados, espantados, expressivos, francos, frios, furiosos, leais, meigos, rasgados, risonhos, sonhadores, travessos, tristes…
 
NARIZ
Achatado, adunco, afilado, arrebitado, comprido, de narinas largas, espetado, largo, pequeno…
 
BOCA
De lábios bem desenhados, de cantos caídos, escancarada, fechada, severa, sorridente…
 
LÁBIOS
Carnudos, descoloridos, entreabertos, finos, grossos, vermelhos…
 
SORRISO
Amigável, brincalhão, franco, luminoso, meigo, misterioso, irónico, trocista…
 
EXPRESSÃO
Afável, decidida, doce, fria, meiga, misteriosa, sonhadora, tímida…

 
                                                                        


publicado por pnep-condeixa às 13:08

      

 
    Porque ajudam muito, aqui vai uma pequena lista de conectivos
que poderás utilizar:
 

 
Ideia a exprimir
 
 
Conectivos / Articuladores
ADIÇÃO
e, pois, além disso, e ainda…
CAUSA
Pois, por causa de, porque, dado que…
CERTEZA
é evidente que, certamente, de certo, naturalmente, evidentemente…
CONSEQUÊNCIA
portanto, logo, por tudo isto, de modo que, tanto… que
CONCLUSÃO
enfim, resumindo, de tal forma que, em conclusão, concluindo
CHAMAR A ATENÇÃO
notemos bem que, reparemos, veja bem que
DÚVIDA
talvez, não sei bem, é provável, possivelmente
ENFATIZAR
efectivamente, com efeito, como vimos
ESCLARECER, evitar equívocos
não é que… longe de…
EXEMPLIFICAR, CITAR
por exemplo, isto é, aqui se apresenta, como se pode ver em
FIM
para que, com o intuito de, a fim de
HIPÓTESE OU CONDIÇÃO
se, por pouco que, a menos que, supondo, admitindo, salvo se…
LIGAÇÃO ESPACIAL
ao lado, sobre, sob, à esquerda, no meio…
LIGAÇÃO TEMPORAL
antes, depois, em seguida, até que, quando…
OPINIÃO PESSOAL
quanto a mim, acho, penso que, na minha ideia
OPOSIÇÃO, RESTRIÇÃO
mas, apesar de, contudo, todavia, porém, no entanto, por outro lado
REAFIRMAÇÃO, RESUMO
por outras palavras, ou seja, em resumo, de facto, neste caso, ainda…
SEMELHANÇA
do mesmo modo, tal como, assim como…
PROVAR
uma vez que, com certeza, efectivamente, deste modo, na verdade

 

                                                              



publicado por pnep-condeixa às 13:02

 üSinais de pontuação a utilizar:

 
O João disse: (Dois pontos seguidos de parágrafo indicam que a personagem vai falar)
 
- Bom dia! (O travessão inicia a fala das personagens)
 
- Bom dia! Respondeu a Ana. (O travessão serve também para separar a intervenção do narrador da fala da personagem)
 
üO verbo introdutor:
 
Como indica o nome, o verbo introdutor serve para introduzir as falas das personagens.
 
  • Quando falamos utilizamos diferentes intensidades de voz:
Gritar – Sussurrar – Murmurar – Guinchar – Proclamar – Segredar – Berrar
 
  • Os verbos variam conforme a intenção daquele que fala.
Protesto ou aprovação: Concordou – Reconheceu – Protestou – Aprovou – Ripostou.
Informação: Informou – Anunciou – Disse
Ordem: Ordenou
Reflexão/Comentário: Pensou – Sonhou – Comentou
 Confidência: Confidenciou: Confidenciou
 
 
  • Para obtermos mais expressividade podemos juntar ao verbo uma palavra ou expressão:
 
Disse em voz alta.
Respondeu com ironia.                                            
Gritou com dureza.
 

                                                                         



publicado por pnep-condeixa às 12:19

 

RECEITA DA AVÓ PARA ESCREVER UM CONTO ORIGINAL                
 
 

Escolhe a personagem que vai ser o herói da tua história.
 
Príncipe/princesa; top-model; soldado; arqueólogo; professor; amigo…
Imagina qual será o seu maior sonho, o que lhe falta para ser feliz.
Casar; ter um anel mágico; descobrir um tesouro; ser famoso; herdar um quadro valioso…
Pensa o que pode fazer o teu herói para alcançar o sonho.
 
Arranjar uma namorada; ter uma prancha de surf; viajar para uma terra distante; fazer uma operação plástica…
Que dificuldades vão encontrar pelo caminho?
 
Gangsters; feiticeiros; labirintos; fadas más; telemóvel avariado…
Por que situações passa o teu herói?
 
É ferido com gravidade; é condenado a trabalhos forçados; é vencido num concurso; é vítima de um feitiço; é vendido como escravo…
Como conseguiu ultrapassar todas as dificuldades?
 
Com a ajuda de uma amiga; com a ajuda de um anel mágico; com confiança nas suas capacidades; com o uso do que aprendeu na escola…
Quem é o teu adversário/rival do teu herói?
 
Um dinossauro; um marciano; um cientista maluco; um falso amigo; um traficante de armas…
No fim da “viagem”, em que lugar se encontra o herói?
 
No alto de uma montanha; num castelo; em Paris; num templo budista; num planeta desconhecido; no reino das mil e umas noites…
Como acaba a história?
 
De uma forma feliz; de uma forma totalmente “louca”; de forma nenhuma…
Afinal, como é que se chama esta história?
 
 
???

                                                                      



publicado por pnep-condeixa às 12:17

 

 

Ficha Informativa
A DIVISÃO DO TEXTO NARRATIVO
 
 
Um texto narrativo é constituído por três partes:
 
- Introdução
- Desenvolvimento
- Conclusão
 
IntroduçãoÉ a primeira parte do texto (o primeiro ou os primeiros parágrafos, a qual começa, normalmente, com a expressão: Era uma vez (…)”. Nesta parte da narrativa, o narrador localiza a história no tempo e no espaço e apresenta ou nomeia as personagens, fazendo uma breve referência à sua situação. Portanto, na introdução não há acção (acontecimentos).
 
Ex: “Era uma vez uma menina tão bonita que toda a gente que a via ficava logo a gostar dela.”
 
 
DesenvolvimentoÉ a segunda parte do texto. A situação das personagens é modificada por um acontecimento que lhes provoca reacção e as leva às acções. Portanto, há uma sequência de acontecimentos.
 

 

Ex: “Certo dia a mãe disse-lhe:
       - Capuchinho Vermelho, toma este bolo e esta garrafa de vinho e vai levá-los à tua avó (…)”
 
 
ConclusãoÉ a última parte do texto (último parágrafo ou últimas frases). Aqui, o narrador dá uma ex
explicação do sucedido, ou em forma de resumo ou em forma de moralidade.
 
Ex: “Entretanto, Capuchinho Vermelho pensava: “Nunca mais torno a sair do caminho direito para ir apanhar flores ao bosque, sobretudo depois das recomendações da minha
mãe”                       .

                                                                                                                                                                                                            



publicado por pnep-condeixa às 12:15

                                                       

     Na Escola da Ega, na turma do 3º e 4º Ano, a professora apresentou como proposta de actividade a construção de um texto narrativo original. Para isso, a partir da leitura de um pequeno texto, levou os alunos a identificarem as partes que devem constituir um texto narrativo e o que cada uma delas deve conter. De seguida, com o apoio de fichas informativas os alunos foram fazendo a preparação da construção da Narrativa.

    Daqui por mais algum tempo, quando a turma considerar que o trabalho está acabado, de certo que o daremos a conhecer.

   Até lá, deixamos aqui o material para que  também aceitem este desafio e aproveitem esta sugestão de  trabalho que pode ser feito de forma muito criativa e prazenteira.

   Já agora, não se esqueçam que escrever é sem dúvida um exercício de liberdade de expressão e quanto mais escrevermos mais livres nos sentimos. Só por isso, vale mesmo a pena escrever,escrever... escrever...  Vá lá experimentem!...

                                                        

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por pnep-condeixa às 11:57
mais sobre mim
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16

19
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


arquivos
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


links
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO